‘Making of’ ou ‘making off’?

“Qual é o certo: ‘making off’ ou ‘making of’? Costumo usar o primeiro, mas já vi dos dois jeitos.” (Anelise de Souza)

A dúvida, como se vê, não é de português, mas de inglês. Isso não a torna menos relevante para o público brasileiro: making of (nada de efe dobrado, já veremos por quê) consagrou-se entre nós com um sentido que, antes de sua importação, costumava ser atendido pela expressão “cenas de bastidores” ou coisa parecida.

Trata-se do registro do processo de produção de um objeto cultural qualquer, filme, disco, show, ensaio fotográfico etc. Metalinguístico, o making of é geralmente um filminho promocional que se debruça sobre a ação de preparar a atração principal, tirando o espectador do auditório e levando-o para dentro da oficina dos artistas. A era do DVD ajudou a consagrá-lo.

Faz muitos anos que making of é figurinha fácil no vocabulário da imprensa cultural brasileira. Pode-se discutir – e discute-se mesmo – a implicação de nosso apetite anglófilo. Há quem julgue a importação de making of servil e desnecessária, pois poderíamos dizer a mesma coisa de outra forma. Para estes, optar por making of é algo tão idiota quanto chamar adolescente de teen. Outra corrente argumenta que o caso aqui é diferente, pois making of tem um sentido preciso – de produto acabado que inclui “cenas de bastidores”, mas não se esgota nelas – e contra a precisão é quixotesco lutar.

Os dois lados têm sua dose de razão. Seja como for, uma coisa é indiscutível: a degeneração ortográfica making off, que parece ser de uso ainda mais frequente do que a forma correta em nossa imprensa cultural, revela, esta sim, um traço constrangedor da macaqueação linguística – a ignorância alvar, a falta de juízo crítico. Se vamos ser anglófilos, que tal aprender um pouco de inglês, em vez de achar que dobrar consoantes é sempre mais chique?

Processo de produção (making) de (of) um objeto cultural, é só disso que se trata. Making off – substantivação de to make off, “fugir, dar no pé” – seria no máximo algo como fuga. Fuja dele.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Fonte: Blog Sobre Palavras – Sérgio Rodrigues

Making of – Fotografia de Casamento































Cuidado com as compras na Black Friday

Pessoal, é sempre bom ficar de olho nos sites que estamos comprando, porque a dor de cabeça pode ser grande. Deem uma olhada nessa lista de sites não confiáveis antes de concretizar suas compras!! Abraço!!
Cuidado com as compras na Black Friday

Padre fica furioso com fotógrafos e quase interrompe casamento

Sempre que me preparo para iniciar uma cobertura fotográfica em cerimônia de casamento, me preocupo em conversar com o padre, celebrante ou pastor sobre o meu trabalho e sobre as regras da igreja em que vou atuar. Isso ajuda a mostrar para o padre que estou lá apenas para cumprir meu papel e em momento algum desejo atrapalhar o andamento da celebração.

A partir do momento que você se mostra respeitoso com as regras do ambiente em que está, as pessoas passam a te respeitar também. Na minha opinião faltou um pouco de diálogo neste caso, mas não podemos julgar ninguém sem conhecimento dos fatos, não é?

Leia a reportagem e tire suas conclusões.

Casamento Juliana e Rodrigo

Casamento realizado dia 3 de agosto de 2013 em Belo Horizonte, na Igreja de Lourdes e recepção no Clube Sírio. Meus parabéns ao casal que depois de uma história de quase 10 anos juntos oficializaram a união em uma cerimônia e festa lindas.

Make up: Kazuza

Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo
Casamento Juliana e Rodrigo