Curso Básico de Fotografia

Aprenda fotografia! O Curso Básico de Fotografia tem como objetivo inserir você no mundo da fotografia, ensinando da teoria à prática todos os detalhes que podem fazer de suas fotos verdadeiras obras de arte. Veja como é simples fazer um upgrade na qualidade das imagens que você registra em viagens, festas ou até mesmo em casa.

O curso é formado por quatro etapas que possuem duração de 2hs e é realizado em Belo Horizonte, próximo à Praça Milton Campos.
1ª – História da Fotografia, câmera, diafragma, obturador, fotômetro, exposição.

2ª – Objetivas, distância focal, fator de corte, composição e tipos de luz.

3ª – Colocar em prática os conceitos técnicos estudados de forma orientada.

4ª – Análise dos resultados, tendo em vista os conceitos estudados e a correta utilização dos mesmos.

Nossos horários de curso:
Turno: Tarde – Segunda, terça, quarta e quinta às 13hs ou 16hs
Turno: Noite – Quinta, sexta, sábado e segunda às 19hs, sendo que aos sábados a aula prática ocorre às 9hs.

INDIVIDUAL
Se quiser fazer o curso individual, poderá agendar os dias e horários que for melhor para você. De preferência que inicie e termine dentro da mesma semana para as aulas não ficarem muito distanciadas.
Para aulas individuais o valor é R$480,00 à vista ou em até 12x no cartão com acréscimo.

GRUPO
O curso em grupo é feito com 2 ou 3 alunos. Em turmas com datas e horários pré-determinados!
Para aulas em grupo o valor é R$380,00 à vista ou em até 12x no cartão com acréscimo.

Inscrições abertas para nova turma dia 09/02/2015 às 14hs. Informações através do e-email: cursos@eduardofranco.com.br

Garanta já sua vaga efetuando o pagamento da entrada de R$100,00 – (Não reembolsável)






Curso_Flyer01

Qual câmera devo comprar?

Galeria

Essa é uma das perguntas que mais escuto. Então resolvi passar algumas dicas para deixar as coisas um pouco mais claras. Algumas pessoas se enganam no que realmente devem levar em consideração na hora de escolher seu equipamento e isso … Continue lendo

‘Making of’ ou ‘making off’?

“Qual é o certo: ‘making off’ ou ‘making of’? Costumo usar o primeiro, mas já vi dos dois jeitos.” (Anelise de Souza)

A dúvida, como se vê, não é de português, mas de inglês. Isso não a torna menos relevante para o público brasileiro: making of (nada de efe dobrado, já veremos por quê) consagrou-se entre nós com um sentido que, antes de sua importação, costumava ser atendido pela expressão “cenas de bastidores” ou coisa parecida.

Trata-se do registro do processo de produção de um objeto cultural qualquer, filme, disco, show, ensaio fotográfico etc. Metalinguístico, o making of é geralmente um filminho promocional que se debruça sobre a ação de preparar a atração principal, tirando o espectador do auditório e levando-o para dentro da oficina dos artistas. A era do DVD ajudou a consagrá-lo.

Faz muitos anos que making of é figurinha fácil no vocabulário da imprensa cultural brasileira. Pode-se discutir – e discute-se mesmo – a implicação de nosso apetite anglófilo. Há quem julgue a importação de making of servil e desnecessária, pois poderíamos dizer a mesma coisa de outra forma. Para estes, optar por making of é algo tão idiota quanto chamar adolescente de teen. Outra corrente argumenta que o caso aqui é diferente, pois making of tem um sentido preciso – de produto acabado que inclui “cenas de bastidores”, mas não se esgota nelas – e contra a precisão é quixotesco lutar.

Os dois lados têm sua dose de razão. Seja como for, uma coisa é indiscutível: a degeneração ortográfica making off, que parece ser de uso ainda mais frequente do que a forma correta em nossa imprensa cultural, revela, esta sim, um traço constrangedor da macaqueação linguística – a ignorância alvar, a falta de juízo crítico. Se vamos ser anglófilos, que tal aprender um pouco de inglês, em vez de achar que dobrar consoantes é sempre mais chique?

Processo de produção (making) de (of) um objeto cultural, é só disso que se trata. Making off – substantivação de to make off, “fugir, dar no pé” – seria no máximo algo como fuga. Fuja dele.

*

Envie sua dúvida sobre palavra, expressão, dito popular, gramática etc. Toda quinta-feira o colunista responde ao leitor na seção Consultório. E-mail: sobrepalavras@todoprosa.com.br

Fonte: Blog Sobre Palavras – Sérgio Rodrigues

A Importância do Cerimonial

Eduardo Franco Fotografia

O casamento é uma data única na vida de qualquer pessoa e os preparativos requerem muita paciência e organização. Igreja, vestido, buffet, maquiagem, salão de festas, decoração, fotografia e filmagem, são inúmeros os itens que devem ser pesquisados, analisados e escolhidos “a dedo” pelos noivos. Como em qualquer planejamento, é natural que sejam atribuidos diferentes níveis de importância para os pontos que serão levados em consideração. E consquentemente damos menor grau de relevância a quesitos que, na nossa maneira de entender, são menos vitais.

Mas na maioria das vezes nos casamos uma vez somente e não temos “know how” algum no assunto. Por isso é importante ouvir vários profissionais para que a experiência que eles tem nos ajude a esclarecer o que há de melhor e pior em matéria de casamento.

Um dos profissionais que considero de extrema importância é o cerimonial. É impressionante a quantidade de coisas que eles acompanham de perto, definem e solucionam, antes e durante o evento.

Existem cerimoniais que atuam desde o dia de sua contratação, trabalhando como verdadeiros conselheiros até a organização propriamente dita no dia do evento. Já outros, abrangem apenas o dia do casamento. É comum cerimonialistas que se envolvem de tal forma com a noiva que acabam sendo cerimonialista, consultora, psicóloga e “mãe”. É um apoio muito bem vindo que além das dicas, dá uma segurança enorme para as tomadas de decisão que a noiva precisa fazer.

E o mais importante, o dia em si. A naturalidade com que uma cerimônia e uma recepção transcorrem quando bem administradas pelo cerimonial é absurda. Esses profissionais trabalham com o objetivo de resolver ou minimizar todo e qualquer contratempo que possa ocorrer (e ocorrem muitos) de forma que os noivos e a família não percebam. Eles absorvem toda a carga de estresse e preocupação para deixar você livre para curtir e aproveitar ao máximo o seu dia.

Como fotógrafo já tive excelentes experiências com cerimoniais muito competentes mas também já estive em situações que eu mesmo precisava organizar a velocidade da entrada dos padrinhos na cerimônia, a fila para fotos e até providenciar garçons para que os noivos fossem servidos durante a recepção. E dependendo da situação isso pode atrapalhar o resultado final das fotos.

Um orçamento bem planejado é vital para que tudo saia de acordo com seus sonhos, mas não faça economia exagerada com profissionais e serviços que são igualmente vitais para o seu evento. Defina bem qual a abrangência dos serviços do cerimonial que está contratando para saber o quão tranqüila poderá ficar e nunca o deixe no fim da sua lista de prioridades.

Abraço,

Eduardo Franco.

Como enlouquecer um fotógrafo! Adoro o item 3… rs

1- Convide
Convide-o para o seu aniversário e diga para ele “aproveitar” e levar a câmera para fazer umas fotinhos da galera. Amigo que fotografa bem, sem a câmera é meio amigo, então aproveite a amizade. Só assim você poderá ter fotos incríveis sem precisar contratar ninguém. Caso ele não possa ir em seu aniversário peça a câmera emprestada, afinal ele é seu amigo ou não é?

2- Reprove
Depois dele tirar uma foto sua numa festa, peça para ver a foto dele e reprove umas 15 vezes dizendo: “Ah, eu estou feia, tira outra?”, “Ah não gosto desse ângulo, tira outra?”, “Ah, fiquei gorda, tira outra?”, “Ah meu, saí com uma espinha!!, tira outra?”… reprovando as fotos ele pode ficar ali a noite toda fazendo um book só seu!
Outra dica é dirigí-lo e ensiná-lo. Diga para ele “não é assim, é assado” e mande-o fazer o ângulo que você quer, afinal não tem nada demais limitar a criatividade dele.

3- Elogie
Depois de ver uma foto sensacional que só um bom fotógrafo pode fazer, diga a ele que A CÂMERA é demais, que hoje em dia as câmeras tem uma super tecnologia e uma super lente. Nunca elogie o olhar dele. Sempre repita: “Essa câmera é foda”, afinal essas câmeras já fazem tudo!

4- Desconcentre-o
Quando ele estiver trabalhando e tentando clicar aquele momento, puxe papo com ele, ou então fique entrando bem na frente, a todo momento.

5- Peça um favor
Seu amigo acabou de trocar a câmera profissional e ele precisa treinar com a nova. Então chegou a hora de realizar as fotos do Book dos seus sonhos! Pronto, é hora de pedir aquele “favor” e fazer as fotos “di grátis” sem precisar contratar ninguém.

6- Peça as fotos!
Em uma festa que ele esteja fotografando, interrompa-o e peça pra ele te mandar as fotos em que você saiu. Caso ele seja gentil e lhe peça um papel com endereço de e-mail, diga que não tem como anotar, então peça para ele mesmo anotar o seu e-mail. Lembre também que você PRECISA atualizar o seu orkut e facebook.
Se ele demorar um dia para mandar, cobre uma, duas, três vezes até vencê-lo pelo cansaço.

7- Créditos
Caso ele tenha feito as fotos pra você ou lhe mandou gentilmente as fotos depois daquele evento, nem precisa se preocupar com os créditos. Dar créditos só por causa da troca de um favor? Fala sério!. E ainda, se ele mandar as fotos com o crédito na foto, apague. Fica feio o nome de uma pessoa numa foto que você vai colocar no orkut.

8- Copie
Use a foto dele (você pode copiar do Flickr!) para fazer aquele catálogo ou banner da sua empresa, afinal dificilmente ele vai descobrir que a sua loja, conhecida somente na região será vista por ele.

9- Desvalorize
Quando você pedir um orçamento de um Job e ele cobrar o preço que eles normalmente cobram, diga a ele que está caro, que seu sobrinho também tem “câmera digital” e poderia fazer até de graça. Diga ainda que hoje é muito mais fácil, é só clicar e baixar as fotos, que não tem custo algum. Afinal de contas não é como antigamente, em que o fotógrafo tinha que gastar para ampliar e revelar o filme. Hoje é tudo digital, não custa nada. Sem falar que este job pode servir de “portfólio” para ele!

10- Faça pose
Quando estiver naquele ambiente descontraído seja o único a fazer pose, sem ele pedir, olhe e fique sorrindo para a câmera. E para ajudar, saia em todas as fotos que puder. Se ele for fotografar uma só pessoa, entre na foto! se for só um casal de namorados, entre na foto! se for só a turma do ano passado da faculdade, não a sua, não faz mal, entre na foto!!!. O importante é sair em todas!

11- Critique
É engraçado, tem fotógrafo que gosta de fotografar mesmo nas horas de diversão. Neste caso, quando ver um amigo fotografando num churrasco ou numa festa por vontade própria, diga pra ele largar a câmera, que ele parece japonês!
Quando ele estiver pirando naquelas posições contorcionistas só para pegar um detalhe besta daquela gota de orvalho numa folha, fala pra ele: “Para de ficar se matando aí, vem tirar uma foto da gente”!
Aliás, esta é uma boa hora para aproveitar que ele está no lazer e pedir pra ele tirar fotos daquele seu vaso de plantas, do seu cachorro, do seu carro, do seu filho… Pô, já que tá com a câmera não custa aproveitar e tirar umas fotos pra você, né? (não esquece de pedir para ele te mandar no dia seguinte)

12- Pegue na câmera
Assim que ele tirar uma foto sua, puxe a câmera para ver como ficou a foto, como aqueles entrevistados que costumam pegar no microfone do repórter, manja?
Ou então se o fotógrafo te pedir para você tirar uma foto com a câmera dele, você pode fazer duas coisas que vai deixá-lo loco: Use aquela sua mão que está cheia de gordura da coxa do frango que você acabou de comer colocando o dedo preferencialmente na lente.
Outra dica é nunca usar a alça que evita a queda acidental do equipamento. Caso ele peça para você colocar a alça, diga que não precisa, que você é cuidadoso (a).

Fonte: Fotoclube BH @ Flickr